Sou um cordeiro

Acabei de descobrir que sou um cordeiro no meio de um rebanho bem grande.

Lá me encontro sem pensar em nada, apenas faço o que todos fazem e só fazemos porque alguém nos manda fazer. Percebi também que ao ser um cordeiro conduzo minha vida de maneira tranquila e decente. Ajo da melhor forma e aos costumes corriqueiros de quem é um cordeiro dentro de um rebanho.

Por que tentar sair daqui ou tentar não fazer o que me pedem? Se no fim das contas serei reprimido e com certeza voltarei ao rebanho do qual tentei sair. Até porque é assim que funciona, se não fossem assim talvez nem estaríamos aqui. Alguém sempre tem que mandar e outro obedecer. E sempre quem manda é o que tem mais poder. Pois é essa pessoa que faz tudo funcionar. E se não funcionar, tudo pode virar uma desordem. Apesar que a desordem é uma coisa interessante, mas não vem ao caso nesse momento. Agora estou a falar de minha descoberta.

Bom, acordo e já vou comer, todos nós cordeiros temos uma ração pastosa e sem gosto. Sempre há um que come demais e acaba passando mal. Esse, coitado, é taxado como fora do padão e levado para fora dali. No resto do dia ficamos no mesmo lugar, no pasto, cercado por cercas de arame e estacas de madeira. Certa hora do dia alguém com mais poder que nós leva-nos para um passeio no campo. É nesse momento que nos sentimos melhores pois conseguimos andar mais e com mais espaço para se deliciar na grama. Mas é nessa hora também que vemos como somos cordeiros no meio de um rebanho. Bate a sensação de estarmos sendo vigiados e a sensação de ilusão daquele passeio.

Depois de vários dias nós não conseguíamos mais pensar, era só comer e ficar ali parado. Contudo houve um cordeiro entre nós que surtou:

– Ahhhh!!! Quem são vocês? Porque ainda estão aqui? Não quero mais ser um cordeiro dentro desse rebanho acomodado.

O silêncio se instaurou e todos olhavam fixos para esse cordeiro, que depois fora taxado de rebelde. Outro cordeiro tentou falar algo:

– Mas, mas, e… você é igual a gente, não pode…não pode mudar isso.

O cordeiro rebelde se pronunciou em tom pedagógico:

– Vocês não vêem essa situação de merda que estamos passando, todos amontoados, achando que o normal é ficar assim, sem conseguir andar e pensar. E ficamos recebendo ordens dessas pessoas que nem são melhores que a gente, a única coisa é esse conceito de poder que lhes foi atribuído. Que poder é esse? De mandar a gente fazer o que eles querem? Eu só espero que vocês não fiquem acomodados e amanhã quando formos dar nosso passeio pelo campo, fugimos todos correndo para qualquer direção mas depois nos encontramos no lago sul para formarmos um grupo e irmos libertar outros cordeiros presos.

O silêncio foi imediato novamente mas rompido pelo fervoroso ânimo de todos cordeiros. Depois desse se pronunciar, outros também vieram a falar, um atrás o outro e todos numa energia forte e intensa.

No dia seguinte acordamos, comemos e fizemos as mesmas coisas. Eu nem me lembrava do dia anterior e pelo que percebi ninguém se lembrava. Ao irmos para o pasto, começara uma música estranha e com vozes sussurradas, dizendo “Viva a ordem”. No meio do pasto estava o cordeiro rebelde de ponta cabeça, preso por uma corda pela pata traseira, pingando muito sangue que saia de sua boca. Todos se assustaram e eu fiquei em choque com tanta violência. Será que aquilo ocorrera devido ao seu discurso do dia anterior? Certamente. Aquilo me arrepiou a espinha e me fez acreditar de vez que a melhor coisa na vida era continuar sendo um cordeiro no meio de um rebanho. Se tornar cético de tudo e apenar viver aqui, sem pensar nas coisas do Mundo.

Ser cordeiro não é tão ruim. Recebemos ordens, mas quem hoje não recebe? Minha vida pode ser tranquila aqui e assim está sendo. Também pude perceber hoje que não só o cordeiro recebe e cumpre ordens vindas de alguém com mais poder, até o ser humano, ser mais evoluído que nós passam por isso. Então se é assim que funciona, porque estar aqui escrevendo, se no final sou apenas um cordeiro dentro de um grande rebanho, participando daquilo que chamarão de fim do Mundo.

Anúncios

2 Respostas to “Sou um cordeiro”

  1. John Says:

    leo, por favor, os lobinhos estao chegando. receba-os. agora!

  2. lanamartires Says:

    “Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros” (George Orwell)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: