Da cabeça para o mundo

Não consigo me lembrar de muitas coisas, mas uma coisa eu lembro!

Durante um tempo indeterminado eu andei só olhando para baixo, conhecendo cada ladrilho das calçadas. Olhar o horizonte não acontecia, não sei nem como são os rostos das pessoas da cidade.

Minha loucura era genial. Eu sei que sabia muita coisa, de qualquer área específica dos estudos. O fato de só olhar para baixo me deu chances de olhar mais para dentro de mim. Passei horas pensando nas coisas, na vida, andando de madrugada pela cidade. Eu sabia como conseguir a paz e sabia a história da Bíblia de cabeça sem ter pego ela na mão.

Andava por todos lugares, sempre a noite, e sempre me perguntava sobre o tempo e a Igreja. O que será que acontecia além do horizonte? Ninguém sabia, então não precisamos olhar!

Minha voz nunca ninguém ouviu, nem eu. A noite a audição fica mais aguçada e aos poucos ia descobrindo minha voz ainda dentro do meu pensamento. No centro da cidade havia jardins com lindos lustres de lâmpadas brancas. E o mais interessante é que a noite a praça estava sempre cheia de manequins conversando sobre a vida, política e futebol.

manequins me cumprimentando quando cheguei na praça

manequins me cumprimentando quando cheguei na praça

Hoje, precisamente agora, não me lembro de mais nada. Passei a olhar para frente, tentando olhar para cima, para banhar-me de sol. Esse mesmo sol que eu via dentro de mim e agora não vejo mais.

Voltei para minha casa durante o dia para não passar frio a noite, ainda mais que fiquei sabendo que a energia elétrica ia acabar. No caminho encontrei Rosa, uma bela mulher que conhecia quando era jovem. Ela trazia consigo fotos da nossa juventude, belas e nostálgicas. Mas num momento repentino que pisquei meus olhos, Rosa não estava lá e no seu lugar estava Cecília carregando uma panela de comida. Fiquei assustado com aquilo, não conseguia compreender aquela magia que pareceu acontecer. Ela abria a boca para falar mas sua voz não saía e este fato me causou medo e voltei a só olhar para baixo em passos rápidos.

DSC02091

minha casa

Chegando em casa vi que ela estava abandonada, tomada por folhas, galhos e umidade, sem porta, janela, sem nada dentro. Não sabia mais onde estava, fiquei sozinho ali a pensar e olhando para baixo.

Incrivelmente ouvi uma música se aproximar, era uma espécie de tango-brasileiro tocado por uma banda de fanfarra, com flautas, percussão, acordeão, violão, bandolim, tudo lindo, alegre. Atrás vinham lindas mulheres dançando com pandeiros e bandeiras, saias rodando ao vento. Chegando mais perto ergui minha cabeça e vi que elas não tinham olhos. Meu Deus!! O que está acontecendo comigo??

Uma das mulheres me pegou na mão e arrastou-me para a dança. Eu lutei para não ir, queria ficar olhando para baixo e ver como eu estava por dentro……….e então não me lembro de mais nada que ocorreu. Agora estou sentado na praça, conversando sobre a vida e suas pendências junto com meus amigos manequins.

Anúncios

3 Respostas to “Da cabeça para o mundo”

  1. João Ricardo Says:

    a loucura está nos olhos de quem vê

  2. John Says:

    nice touch.
    beautiful an dirty.
    above the feet of prophet:
    nothing more left, just the tinny thread ligh

  3. Caio Says:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: